Seminário diocesano do Funchal

© 2016 por Seminário diocesano do Funchal

  • Facebook Clean
  • White YouTube Icon

História

criação

O Seminário da Diocese do Funchal foi criado por Carta Régia de 20 de Setembro de 1566, em obediência às determinações do Concílio de Trento. As suas primeiras instalações foram em casas contíguas à residência episcopal, nas imediações da actual ponte do Torreão. E foram variando ao longo dos tempos.

continuação

No início do século XVIII, o Seminário passou a funcionar no chamado «mosteiro novo», casa edificada para convento de religiosas. Com o terramoto de 1748, o edifício tornou-se inabitável. Com a cedência do Colégio dos Jesuítas em 1787, à instância do bispo, o Seminário ficou instalado nesse edifício. Na ocupação da Madeira pelas tropas inglesas (1801), o Seminário foi desalojado, passando a funcionar em dependências arruinadas do velho Paço Episcopal, regressando ao fim de uma dezena de anos ao «mosteiro novo», onde permaneceu até 1909, quando D. Manuel Agostinho Barreto concluiu a primeira parte das instalações do Seminário na cerca do antigo Convento da Encarnação. Com a extinção do Seminário, em 1911, o Seminário voltou a uma vida nómada: «mosteiro novo», ruínas da antiga Casa Episcopal, Quinta do Trapiche. Só em Outubro de 1933 é que o Seminário pôde voltar a funcionar na casa que D. Manuel Agostinho Barreto mandara construir.

D. Jorge de Lemos

D. Manuel A. Barreto

Antigo convento da Encarnação, Funchal

continuação

Em 1958, o Seminário passou a funcionar em dois edifícios distintos: o Seminário Menor, no edifício da Encarnação, até 1974 (data em que foi ocupado pela Revolução de 25 Abril), confiado à protecção da Nossa Senhorada Encarnação, e o Seminário Maior, no antigo Hotel Bela Vista, adquirido pela Diocese para esse fim, confiado à protecção de Nossa Senhora de Fátima. A partir de 1969, os alunos do Curso Teológico começaram a frequentar a Universidade Católica, em Lisboa, de modo que no Seminário Maior passaram a residir os alunos dos últimos anos do então curso liceal, juntamente com todos os alunos do Seminário Menor a partir de 1974. Desde 1987, os alunos do sexénio de preparação para o presbiterado repartiam-se entre o Funchal e Lisboa. Os seminaristas do primeiro biénio frequentavam a Escola Teológica da Diocese do Funchal, residindo no edifício do Jasmineiro com os do 3º ciclo do Ensino Básico e os do Secundário. Os seminaristas prosseguiam a sua formação para o ministério pastoral no Seminário Maior Patriarcal de Cristo-Rei dos Olivais, em Lisboa, frequentando a Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa. Desde o ano lectivo de 2009/2010, os seminaristas passaram a frequentar o seminário de S. José de Caparide a fim de frequentarem o ano propedêutico e os dois primeiros anos do curso de Teologia. Deste modo, os seminaristas do Funchal passaram a fazer todo o seminário maior nos seminários da diocese de Lisboa. 

 

 

 

 

 

D. Frei David de Sousa, Bispo do Funchal

Seminaristas com D. David no novo seminário

Seminaristas na alameda do seminário de NSF