Seminário diocesano do Funchal

© 2016 por Seminário diocesano do Funchal

  • Facebook Clean
  • White YouTube Icon

Instituições

Seminário: Instituições de seminaristas 2018
     «O bispo do Funchal presidiu, ao fim da tarde deste sábado, dia 7 de Abril, na Paróquia de Santo António, no Funchal, à instituição de dois seminaristas – o André Pinheiro e o Marco Abreu – no ministério do acolitado.

      Na homilia D. António Carrilho, que desafiou os instituídos a “darem passos sem medo”, pediu-lhes ainda que eles sejam “rostos da Misericórdia do Pai”, uma alusão ao Domingo da Divina Misericórdia, que a igreja assinala precisamente no segundo domingo de Páscoa.

     “O Acólito dá testemunho através do serviço do Altar e leva esse serviço, que recebe como dom e como graça, para a vida”, observou ainda o bispo do Funchal, que deu “graças a Deus por este momento”.

     O prelado aproveitou ainda para agradecer e felicitar os dois jovens, e respetivas famílias e amigos, “por estes passos”, no caminho de uma missão maior que é a de receber as Ordens Sacras.

Aludindo à liturgia o bispo diocesano fez referência ao episódio de Tomé, quando este teve de tocar nas feridas de Cristo para acreditar que ele estava vivo. Outros, lembrou, não precisaram fazê-lo. “É nesta fé na Ressurreição que alimentamos esta comunhão com Cristo, esta comunhão de uns com os outros, esta comunhão com toda a Igreja”.

     O bispo diocesano disse ainda que “é no amor caridade que se dá testemunho da  ressurreição do senhor”, sublinhando que é obrigação e responsabilidade do cristão viver e  passar esse testemunho aos outros, “não só por palavras”, mas através de atos concretos, com “sentimentos”, com “fraternidade e união”, que fazem uma verdadeira comunidade. “E não há comunidade sem o amor caridade, como elo profundo, como o elo que põe todos em comunicação, no amor de Jesus Cristo”».

continua em http://www.jornaldamadeira.com/2018/04/08/d-antonio-carrilho-desafiou-novos-acolitos-a-darempassos-sem-medo/ 

D. António Carrilho institui dois seminaristas no ministério dos Leitores

     O Bispo do Funchal instituiu dois seminaristas no ministério dos leitores em vista à ordenação sacerdotal. O seminarista André Pinheiro, da paróquia de Santo António, e o seminarista Marco Augusto de Abreu, da paróquia do Curral das Freiras.

     E aconteceu na celebração da eucaristia no passado sábado, dia 22 de abril, na igreja paroquial do Curral das Freiras. Nesta celebração marcaram presença o vigário geral da diocese, cónego Fiel de Sousa, o reitor do seminário diocesano, cónego Carlos Nunes, os padres Luís Miguel Lira, Hugo Gomes Vitor Sousa, bem como o diácono Carlos Almada, seminaristas, famílias e comunidades paroquiais dos respectivos instituídos leitores.

Testemunhos:

Marco Augusto Barros de Abreu, 24 anos, natural da paróquia do Curral das Freiras.

Actualmente frequento o 4º ano de Teologia em Lisboa no Seminário de Cristo-Rei Olivais. 

"Este acontecimento foi e é, um momento para reconhecer a importância de meditar em cada dia na Sagrada Escritura a fim de a proclamar da melhor forma. Ter sido instituído leitor em vista o sacerdócio, realça quão essencial é escutar o Senhor e a Sua voz, vivendo em conformidade com a Palavra, para que o meu testemunho mais do que por palavras, seja realmente dado pela minha vida. É ainda tempo de amadurecer não só o conhecimento, mas também o amor à Palavra de Deus, de modo a tornar-me um discípulo do Senhor mais fiel. Esperando que estejais a viver uma Santa Festa da Páscoa, despeço-me com um grande e forte abraço em Cristo Ressuscitado".
 

| | | | | | | |

André João Freitas Pinheiro, 23 anos, natural da paróquia de Santo António.

4º ano de Teologia em Lisboa no Seminário de Cristo-Rei Olivais.

 

“A minha alma glorifica ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador!” (Lc 1,46-47). Tal como Nossa Senhora recebeu com alegria o dom de ser Mãe de Deus, também o meu coração canta com júbilo pelo dom recebido, no ministério de Leitor. 

Este caminho, é um caminho que se vai abrindo e solidificando, numa resposta, cada vez mais consciente, em ordem ao sacerdócio. É um passo que dou nasequência de outros e que me vai alimentando o desejo de continuar a caminhar como discípulo, nos passos que Jesus me abre para seguir atrás d’Ele.

Esta nova etapa traz-me uma maior exigência de vida: Viver para servir, viver da Palavra, decidir pela Palavra, aprender a pela Palavra, mas sempre na certeza de que a graça do bom Deus me assiste. Agradeço a Deus, ao Seminário, à minha família, à comunidade paroquial, por toda a oração e pelo auxílio no meu crescimento humano e espiritual".